SEGUIDORES

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

PRIMEIRO POST 2016 - COMEMORANDO 10 ANOS DE ARTES

O primeiro post do ano tem que ser caprichado né?

Neste ano de 2016 estou comemorando 10 anos de artesanato e foram tantas coisas do início até chegar aqui, tanta coisa aconteceu, tanta coisa mudou e eu também mudei tanto... mudei de idéia tantas vezes que já nem sei mais... a única que sei, o que não muda ou melhor só aumentou esse tempo todo foi a minha paixão pelo artesanato, para ser mais exata pelos tecidos e pelas minhas máquinas de costura.

Quando eu comecei a me encantar pelo mundo da costura em 2010, queria aprender PATCHWORK... mas tive que ir devagar, era muita técnica para aprender, muito material para comprar e quase nenhum tempo disponível, afinal minha filhinha tinha somente 04 MESES quando comprei minha primeira máquina de costura uma JANOME 2008 nas CASAS BAHIA em 10 VEZES SEM JUROS (sem falar nada pro marido) ele só ficou sabendo quando o porteiro ligou avisando para buscar na portaria... ele nem brigou tanto... afinal não foi tão cara  e foi mais ou menos como um presente de Natal adiantado já que estávamos em novembro. Mesmo assim eu não fiquei tão feliz porque eu não tinha linha para costurar, não tinha régua, nem cortador, nem placa, nem tesoura e não tinha o principal TECIDOS. Isso me desanimou um pouquinho então comecei fazer uns pequenos consertos e reformas de roupas de tudo que encontrava em casa, mais para aprender a manusear a máquina e aprender a costurar. Segredo: antes de comprar a máquina eu jamais havia costurado na vida... Mas antes do PATCHWORK...

Meu primeiro contato com tecidos na verdade foi através da CARTONAGEM (que ainda faço muito e A-D-O-R-O) conheci no Programa Arte Brasil no início da licença maternidade com a artesã CLAUDIA WADA comprei um kit pra começar e ver como é que era e gostei muito. Era um kit para montar carteira em cartonagem com uma matriz e um DVD (vídeo aula).  Mudei esse kit inicial e o reproduzi várias e várias vezes fazendo essas carteiras para vender, algumas vezes para presentear (só presenteio há muitos anos com peças que eu faço) e começou a dar certo. Principalmente naquelas datas especiais como Dia das Mães, Dia dos Professores e Natal.
Com o que ia recebendo pelas vendas fui investindo no material para patchwork livros, revistas, placas, cortadores, réguas, tesouras, sprays, alfinetes, etc... sou meio exagerada às vezes, mas cada um com o seu sonho de consumo...

Com o tempo fiquei um pouco desanimada com aqueles blocos sóbrios e aquela coisa muito “engessada” do patchwork tradicional e o meu negócio era costurar eu não tinha aquele “tempo” de ficar pensando de ficar acertando as linhas de costuras... e o quilt então foi um desastre na minha vida. Eu acho que todo mundo que sonha um dia em fazer patchwork se imagina quiltando (quilt livre) uma colcha king size maravilhosa... acho que é o sonho de consumo de 10 entre 10 quilters, mas quase nunca isso dá certo no início. Foi o que aconteceu comigo. Eu desanimei por completa falta de informação no início, e deixei de lado esse negócio de quilt livre somente quilt reto nas minhas peças e fui mais para o lado da COSTURA CRIATIVA e fui fazendo pequenos acessórios como carteiras, nécessaires, estojos, porta jóias e bolsas. Peças fáceis de vender, rápidas de fazer e que todo mundo quer.

No começo meu estilo favorito de PATCHWORK era o Crazy sem nada de blocos certinhos milimétricamente montados e quitados. Meu negócio era a mistura de cores e estampas sem preocupação, nunca liguei pra isso... eu simplesmente coloco tudo lá e pronto costuro e acabou. Como não sabia fazer o quilt livre logo senti que precisaria de uma máquina de costura eletrônica, mais moderna cheia de pontos decorativos e tudo mais... Aí veio a MISSÃO IMPOSSÍVEL 1 convencer o Douglas (meu marido) que isso era realmente uma coisa de primeira necessidade. Meu sonho de consumo era uma JANOME 3160QDC ($$$$), mas acabei comprando o lançamento a SINGER STYLIST 7258 ($$$) que tem os mesmos recursos (costura sem pedal, luz de led, muitas posições de agulha, etc...) e 31 pontos decorativos a mais e com todos os pés calcadores que eu queria. Combinei com ele que só compraria sem comprometer nosso orçamento, quando tivesse juntado o dinheiro ou quase todo e foi isso que aconteceu. Em maio/2013 consegui comprar minha tão sonhada máquina eletrônica de 91 pontos graças às minhas vendas e encomendas. Imaginem uma pessoa feliz...  No começo eu pensei em ficar com as duas máquinas, mas algum tempo depois resolvi “desapegar” da JANOME 2008 e vendi afinal mal tempo para costurar em uma que dirá em duas...

Mas em 2015 após muitas e muitas bolsas e sentir que estava judiando um pouquinho da minha SINGER STYLIST 7258 resolvi realizar outra vontade: ter novamente uma máquina de costura mecânica (pé de boi), mas com muitos recursos, então juntei meu dinheirinho e foquei na compra de uma BROTHER a BROTHER BM3850 é mecânica, mas tem até mesa extensora com kit para quilt, 37 pontos (lindos por sinal – uma precisão que impressiona), luz de led, muitas posições de agulha (muito importante), bobina horizontal com tampa transparente, silenciosa, leve, pequena, a única coisa que eu sinto “falta” quando começo costurar nela é o botão de parada na agulha e costurar sem o pedal de resto é nota 10.

Agora sim posso dizer que após esses 10 anos estou realizada com todas as minhas máquinas e acessórios que venho adquirindo aos poucos, conforme sinto a necessidade, não podemos ser consumistas somente felizes. E posso dizer que estou feliz. Consegui produzir bastante peças para venda no final do ano e praticamente tudo foi vendido. Tenho visto uma aceitação legal das pessoas quanto aos modelos, quanto aos valores. Eu acho que estou no caminho certo.


Minhas expectativas para este ano de 2016 são as melhores possíveis, pois estou investindo em cursos e técnicas. Fiz a assinatura na eduk.com.br e estou praticando e concluindo os cursos que mais me interessam e confesso que estou animadíssima com o PATCHWORK MODERNO e a professora FÁ GIANDOSO já terminei os 06 cursos disponíveis (dela) e ao todo por enquanto já concluí 13 cursos com os certificados. Estou adorando e vou aproveitar ao máximo.


sábado, 12 de dezembro de 2015

NOVO MODELO EM CARTONAGEM

Carteira média em cartonagem, mal deu tempo de tirar as fotos e publicar no meu Facebook. Que bom seria se eu vendesse sempre tudo tão rapidinho.

Acho que nesse caso o que ajudou foi o acabamento 100% PERFEITO e as ferragens utilizadas no fechamento. São bem caras... mas o resultado é um acabamento profissional.

Vou investir mais nesses materiais o retorno é garantido. ADOREI...













CARTEIRA MÉDIA - NOVOS MODELO - MAIS OPÇÕES








Acabamento 100% perfeito e profissional. 

ADORO minhas crias... 

Adoro ainda mais vender e SURPREENDER...






quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

ENCOMENDAS EM TEAR... MENINA E MENINO...

Tenho mais uma encomenda parecida com esta abaixo... e é para um casal de gêmeos que nascerá em janeiro/2016 e eu ainda nem comecei... Acho melhor eu acelerar para não perder o pedido. 

Sim eu ainda faço xales de bebê e "somente xales"

É que depois que eu conheci o mundo dos tecidos, não consegui mais ter aquela paixão de antes pelas lãs e linhas... Gosto muito do resultado assim prontinho... mas dá uma preguicinha de começar...












domingo, 15 de novembro de 2015

PORTA FRALDAS E LENCINHOS UMEDECIDOS

Foi um presentinho para chá de bebê que fui convidada. 

Minha primeira peça deste tipo e já estou querendo fazer mais. É relativamente fácil de fazer... e o resultado foi bem legal a futura mamãe adorou...

#arthur2016








 




segunda-feira, 12 de outubro de 2015

MEU PRIMEIRO LIVRO IMPORTADO

Gostei tanto desse negócio de QUIET BOOK que me arrisquei a fazer a minha primeira compra de livro na amazon.com

Foi a única publicação do tipo que encontrei e ADOREI... valeu a espera e os valores pagos...












quinta-feira, 8 de outubro de 2015

QUIET BOOK

Esse foi um projeto GRANDIOSO, foram alguns meses para finalizar, mas foi delicioso. 

Procurar cada molde, montar cada cenário... O mais legal é que conforme eu fui procurando os temas/cenários que eu gostaria de fazer a Ágatha foi escolhendo junto, e ela tem os seus preferidos:  “AS TRANÇAS DA RAPUNZEL” e a “LAVANDERIA”.

Foi um pouco demorado porque toda a referencia que eu encontrava era em inglês ou grego (os melhores por sinal).

Como é uma coisa nova aqui no Brasil foi meio difícil encontrar como fazer principalmente a “estrutura” do livro. Já os desenhos e os moldes foram mais fáceis de encontrar.

Estou apaixonada pela técnica e pelo resultado.

Por mim teria feito um livro com umas 50 páginas... mas não dá...

Quando a gente começa a fazer... não quer mais parar... e vai se encantando cada vez mais...